Servidores de Jesus

Grupo Espírita em Niterói-RJ

Categoria: Mensagens psicografadas (page 1 of 9)

O mundo novo

O mundo dará um salto quântico quando sua população abandonar o velho hábito alimentar vigente hoje. O canibalismo inconsciente traz terríveis consequências para o corpo e também para a alma. Reformar as gerações futuras para essa nova educação se faz mister em escolas e educandários da alma. Somos todos responsáveis pelo futuro do Planeta. Todos os habitantes merecem viver. Mais do que isso, precisam não ser exterminados e deixar de serem fabricados em massa, servindo a uma linha de produção que enriquece materialmente ao produtor e dementa severamente o consumidor distraído, que se vê quase obrigado a consumir sempre mais.

Quando a compaixão pelos irmãos animais ressoar na alma dos filhos da carne, eles se compadecerão de todo o resto. Quando o homem
verdadeiramente amar a Natureza tudo será belo e ele não mais conseguirá mover-se sem pensar no impacto gerado por essa movimentação.

Jesus nos recomendou que amássemos uns aos outros, mas fomos sempre selecionando a quem amar. Jesus recomendou que perdoássemos e que não julgássemos, mas a nossa atitude inclemente para com os animais é não perdoar sua condição de vulnerabilidade e submissão; e decidir que devemos nos utilizar deles de forma cruel e predatória é condená-los em um julgamento sem direito à defesa.

Toda a humanidade é englobada em um só coração. Precisamos
urgentemente aprender que o coração a pulsar nos bois e coelhos, cães e gatos e lindas cotovias é o mesmo que bate em nosso peito e anseia pela vida.

Vida em abundância é vida feliz, mas a felicidade sem pecha só pode
acontecer se não resultar do sofrimento de outrem, seja quem for.

O trabalho que vem sendo desenvolvido é de suma importância e de extrema beleza. O belo consiste em respeitar e admirar todas as formas de vida. Olhar-se no espelho e ver refletida a Terra inteira é ver o belo em nós.


Nossos votos são de consciências sendo despertadas mais e mais a cada dia para que no grande cântico da natureza possamos entoar em forma de música: Somos todos um com o Pai!

Um servo dedicado
04/06/19

A paz

O dia amanheceu em festa
Pela vida continuada
Não deve ser desperdiçada
Cada oportunidade desta

Talvez não se aperceba
De quão grandiosa é a vida
Pensando só nas feridas
Esquecendo tanta beleza

Através da eternidade
Por caminhos mui diversos
Vou escrevendo esses versos
Curando minha saudade

Hoje, com a mente sã
Tendo encontrado a luz da Doutrina
Minha paz se faz menina
Crescendo a cada manhã

Paz de Cristo
04/06/19

Regresso ao Pai

Na noite escura da alma, o espírito imortal que ontem sorveu o amargo
cálice do engano e da discórdia, hoje se prepara para o acerto, onde cada coisa deve retornar a seu lugar.

Espíritos errantes que somos, temos todos contas a ajustar e débitos aos quais não podemos nos esquivar. Feliz daquele que assumindo essa
consciência sabe que deve trabalhar com afinco na seara do Mestre.

Disse Jesus que não nos libertaríamos do jugo carnal enquanto não
pagássemos o último ceitil. Esse conceito está para muito além de nossos destinos errados. Ele remonta a uma ancestralidade a qual não possuímos conhecimento por nos faltarem recursos, sejam mnemônicos, emocionais ou psíquicos. Circunstâncias de nosso Eu maior que se perdem na dimensão espacial em que vivemos porque nos transformarmos em um Eu menor e nos materializamos ao ponto de nos perdermos da fonte criadora da vida.

Eis que, no entanto, é chegado o momento de retomarmos nosso caminho de ascensão evolutiva. Mas para isso é necessário resgatar nossa dívida inter e extra planetária. Nosso saldo cósmico precisa ser positivado perante nosso desenvolvimento espiritual.

O Pai nos aguarda de braços abertos para a grande reunificação que se dará com a grande remissão dos povos e a reintegração dos seres pela União Divina.

Trabalhemos!

Muita Paz!

Transformação

Em algum lugar, há alguém que espera por nós e ora para que tudo dê certo e para que se saiam bem dos compromissos assumidos. A vida na Terra é repleta de altos e baixos para os quais não costumamos adestrar nossas forças para o correto equilíbrio das situações. Comumente a balança pende de forma desigual, tanto em circunstâncias positivas quanto negativas.

Nas positivas, nos embriagamos na felicidade, esquecendo-nos de que há um ser supremo por trás daquele acontecimento, sempre esquecendo de louvar e agradecer. Além disso, gastamos aquela alegria como se não houvesse um dia seguinte a nos esperar e essa felicidade, então, se esvai.

Nos momentos negativos, maldizemos a criação que nos permite sofrer e, para além, ao invés de tentarmos saídas proveitosas e inteligentes,
fechamo-nos em um mar de lamúrias e padecimentos sem fim. Nos
esquecemos igualmente que não há noite que dure para sempre e que o dia irá raiar, claro e brilhante. O que move o ser encarnado é, via de regra, a satisfação dos objetivos que culturalmente foram instituídos, como sua boa formação profissional, a estruturação familiar, uma reputação digna de nota e, se possível, algum reconhecimento por parte de seus pares.

Certamente que as profissões estão no mundo para o uso dos homens e não menos desejável é ter um lar com bases seguras para o desenvolvimento integral de todos os seus membros.

Mas, afinal, o que viemos fazer na Terra? Apenas coisas da terra? De modo algum. Viemos para refazer o caminho. Palmilhar com acerto hoje os tantos tropeços de ontem.

Se assim é porque não vivemos de forma mais espiritualizada nossa experiência terrena? Até quando estaremos vivendo de ponta cabeça?

Estamos com os pés no alto, pisando as nuvens e a cabeça enterrada no chão. Mas devemos andar com os pés fincados na terra e os olhos postos ao Céu, reverenciando o Criador e pedindo a Ele que não nos falte inspiração para a tarefa a cumprir.

Se somos ainda hoje miseráveis em nossas aspirações maiores, acreditando que tudo se resume à matéria, que comecemos a exercitar a arte de libertar o espírito a fim de que possamos entrar no Reino dos Céus por sermos o pobres de espírito aos quais se referia o Cristo Jesus ao anunciar ao mundo suas Bem-aventuranças.

Que a paz do Mestre Jesus esteja em todos os corações agora e sempre e
que a vida de cada um possa se transformar em cânticos de amor ao Pai.

Hosana e paz a todos!
Um discípulo sincero

O Tempo

Foi-se o tempo
Foi-se a lua
Foi-se a história
Só não foi o rei
Nem foi o poeta
Cuja foice inglória
Não levou, apenas segou
De modo a calar
Na memória
O passado sangrento
Da noite nua
Para resgatar agora
Todo mal de outrora
No Eterno Bem
Para sempre, Amém!

Para Ubaldi

Na solitude da missão
Guiado pela divina mão

Abraçado à voz maior
Que esteve sempre ao seu redor

Mas nada disso importa
Quando estamos na retorta

Avançando em linha reta
O evangelho é a meta
Que se deve alcançar
Para o futuro ver chegar

Esteve no apostolado
Esteve homem e doutor
Hoje aureolado
Por sua obra de amor

Unindo ciência e criação
Nos mostrando o caminho
Nas espirais da evolução

Por isso, nós devemos
Respeito e dignidade
A quem sempre nos honrou
Como Pedro, Pietro ou Frade

Natureza

A música da natureza é de beleza universal. Nos encanta a leveza, que sem
aspereza, afasta todo o mal. Consciências em formação, orientadas no
caminho para a Regeneração. Porque na dança da vida, linda, tão colorida, o objetivo é a perfeição.

Pródigos que somos, em todas as direções, tentando achar o rumo dos nossos corações.

Tanta riqueza assim, não poderia perecer, porque estamos na busca sem fim de um novo amanhecer.

Formamos a grande família dessa enorme constelação, onde o fraco que ora espera, encontrará amanhã a redenção.

Um alerta, no entanto, vos faço: não esqueçam nenhum ser.
Para que não venha, mais tarde, pela dor se arrepender.

Se a bonita melodia que insiste em tocar ecoa em nosso ser, aprenderemos com ela um dia, suas notas entoar.

Os seres aqui viventes não somos apenas nós. Junto à Natureza jamais estaremos sós.

Não é o limite o céu. Limites são meus atos, transformando o menor em réu.
Que venha o amor maior, amor incondicional. Onde todos serão amados, homem, planta e animal.

A Terra não será apenas recordação de dor, sofrimento e lutas, será também a casa da vida em comunhão.

As luzes que agora vejo, vem do Alto a me ofuscar, porque chegam como um cortejo de lindas sabiás.

Avezinhas tão sinceras, nos oferecendo a luz em forma de sinfonia,
deixando ver quão bela é a natureza em harmonia.

Irmanar-nos uns aos outros é nossa tarefa atual, para que todos juntos deixemos de vez o mal.

Saudades daquela terra em que ainda não pisei, onde o homem, a planta, o bicho, é todo mundo Rei.

Que flores de esperança rebrilhem nos corações, que sinceros despertam emoções.


Muita paz!

Transformações

Pelas suas mãos vejo o universo, onde cada um é vida e construção divina.

E temos um universo em cada um de nós.

Divina centelha que nunca irá se apagar, poderá sim, ocorrer transformações, mas desaparecer… jamais.


Trabalhar sempre

O trabalho no Grande Bem é tarefa constante e repositório incessante de bênçãos a quem, desinteressadamente, o pratica.

Comumente, temos a tendência de estratificar ou delimitar o serviço a
certas condições. Aceitamos a tarefa de forma condicional e estabelecemos
rígidos critérios particulares à sua execução: o horário, que não pode ser
antes ou após que tal ou qual, o tipo de tarefa, a quantidade de pessoas a
serem atendidas, as necessidades orgânicas, que postas em primeiro lugar, por vezes, interferem na qualidade do que se pretende realizar… Enfim, uma
série de pré-condições que afasta o trabalhador do trabalho a que fora
destinado. Isso, sem levar em conta o não ‘sentir-se preparado’ para atuar
na lavoura do Senhor.

No entanto, o chamamento é para o trabalho que não cessa, porque o mundo
está em constante movimento. A vida não para nunca e nós, como tripulantes
dessa nave, não podemos, igualmente, parar.

Talvez soe inglória a tarefa, talvez assuste a alguns, mas a ideia passa longe
disto. O chamado é para um despertar de consciências, para que pensemos,
cada um, o quanto conseguimos doar de nós em favor do próximo, sabendo
que próximo é todo aquele que não seja a nós próprios – pessoas, plantas, instituições, animais, o oxigênio -. Tudo aquilo que não sou eu é meu próximo.

Existem compromissos materiais assumidos na encarnação que, certamente,
devem ser cumpridos, como o trabalho com que se ganha o pão, os afazeres
sociais e familiares, etc. Ainda assim, é importante lembrar que o trabalho
do Cristo acontece em cada momento vivido, em cada respiração.

O tempo urge e devemos nos dedicar com mais afinco às coisas do Espírito.
A vida, que é pródiga de bênçãos, reclama de nós trabalho ativo e espírito
de sacrifício. Se cada um dá o que pode, e não há julgamento nisso, deve-se
também pensar no momento em que deverá aumentar sua cota de esforço
pessoal a bem da humanidade.

Disse-nos o Cristo que a porta era estreita. Não nos prometeu Ele, o Mestre
Amado, o Reino dos Céus num mar de facilidades. Disse inclusive que mais
fácil seria um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico
entrar no Reino dos Céus e não está o querido Irmão, aqui, condenando a riqueza, que muita utilidade tem se souber ser utilizada, mas refere-se, justamente, ao processo que nos levam o excesso de comodidades, fazendo-
nos esquecer do real valor da vida.

Amigos, qual é afinal o objetivo maior de estarmos aqui? Também isso,
Jesus deixou claro: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo,
primeiro como a nós mesmos e, mais tarde, aprofundando o significado,
amando-nos uns aos outros como Ele nos amou. Disse ainda: Nisto se resumem todas as leis e todos os profetas.

Mas para exercitarmos esse amor é fundamental que nos preparemos em
serviço ativo e dignificante no Bem.

Somos mais fortes quando acostumados aos labores cristãos e nos sentimos,
com isso, verdadeiramente felizes e regozijados com as benesses recebidas
pelo Amor do Cristo, que nos preenche por inteiro.

Muita paz a todos os corações e que a Luz do Mestre seja com todos nós.

Animais

Animais, seres em construção
E nós? Apenas seus irmãos
Se na dor, todos somos iguais
Por que, então, maltratar os animais?

A natureza é perfeita
Sendo obra de Deus
E porque, não se respeita
Todos os filhos seus?
Sofre o bicho, sofre o homem

Sofre Jesus, Nosso Senhor
Ao ver que se consomem
Esquecendo-se do amor

É necessário aprender
A cuidar, honrar e amar
Para nunca ver sofrer
O boi, o cão, o muar

A tarefa é de todos
Sem nenhuma exceção
Para vivermos celestes gozos
No mundo da Regeneração


Um amigo em Cristo

« Older posts

© 2019 Servidores de Jesus

Theme by Anders NorenUp ↑